Clube da Menô

A minha vida só é possível incrementada!

Textos


Alalaô, mas que caloooooor!
Versão 2017

Oi, aqui é Menô com calor!

Meninos e meninas, eu vim aqui para conversar com vocês. Quero falar para ambos os sexos.

A doctor Leila fala teoricamente: o que ela diz ser a fisiopatologia da “menô”, menopausa. Eu até entendo tudo direitinho, mas na prática ela nada me adianta como solução... Ela diz que a gente tem que procurar um médico e não entrega o ouro ao bandido. A gente acaba apenas entendendo o que acontece com nosso corpo, mas o pulo do gato que é o bom, nada!!!

É uma droga ser médica. Por isso eu entrei aqui pra falar por ela, na segunda língua na qual sou expert: português claro.

Seguinte:

Menopausa é uma merda.

A turma aí diz que estar na maturidade é ótimo. Até concordo... Dizem que é maravilhoso ser da meia-idade (que para mim já é terceira, uma vez que provavelmente não viverei cem anos) e que a gente só consegue alcançar o sumo da vida nessa faixa etária.

Pois bem... Eu acredito nisso tudo, mas tudo que é bom tem seu preço. O preço para viver numa boa esta fase é caro pra caramba. Se a pessoa não tem maturidade emocional, despenca legal;

Dizem que a mulher desaba a partir dos 50. Que nada! Ela começa a partir dos 30, quando ela acha que vai ter peito durinho durante a vida toda e descobre que a menininha roubou seu namorado... Daí, ao alcançar o status de ser por todos chamada de tia ou senhora, ela começa a colocar todos os artifícios em seu corpo: unhas, cabelos, seios, faces de porcelana, bundas e pernas de bonecas, reposições de nutrientes, sais minerais, hormônios e o escambal. Nos olhos surgem “moscas volantes” e halos azuis. As mãos marcam as voltas da vida. O sorriso é uma constante em todas as fotos - pois sem ele, pareceremos zangadas ou cansadas no retrato de nossa realidade. Cabelos indesejados (ou cabelos que somem) começam a nos levar mais a salões de onde desejaríamos estar bem longe. O branco não significa mais a paz - a não ser quando é coberto por vermelho intenso ou louro médio...

Coisas atrofiam; outras alargam ou caem... Que coisa! Como na adolescência, um vulcão toma conta da gente. Na juventude explodem hormônios que nos lançam à vida. Na idade madura, outros nos lançam ao desconhecido. E talvez aí é que a gente tome consciência da vida – a que já vivemos e a que nos resta (e tem que ser plena, calma, absoluta, feliz);

Um sinal de aviso é o calor. Um calor “estranhésimo”, talvez só vivenciado por quem toma vinho tinto de canudinho em pleno verão. A gente mora dentro de nosso corpo como se este fosse o sertão do nordeste brasileiro, mas sem direito a água mineral.

O brasileiro adora banho. É só suar que a gente se mete no chuveiro, numa piscina, numa cachoeira, no mar, até no chafariz da pracinha. Fica difícil na menopausa, quando nossas partes suam em pleno meio-dia, na multidão ou no meio de uma reunião de trabalho. Aí a gente quer pegar uma toalhinha, mas vai pegar mal pra caramba... A gente dá uma desculpa esfarrapada, vai ao banheiro e descobre que o melhor lugar do mundo é uma pia pública de água, muito sem vergonha, e muitos lenços de papel.

Eu já acordei pelada várias vezes durante a noite. Sim... Sensual?... Nada! Eu já acordei assustada durante o sono profundo, querendo saber a razão de estar pelada! Parecia até coisa encomendada! Depois de participar de algumas sessões espíritas, resolvi partir para o mais óbvio: auxílio médico especializado.

A doctor diz que o sono induz a liberação de não sei o quê na nossa corrente sanguínea. Quando a gente entra na menô, nosso cérebro trabalha dobrado. Ele manda mensagens para nossos vasos dilatarem. A gente pode ficar toda ruborizada, pode sentir calor ou suar, como se estivéssemos numa maratona, mesmo em repouso absoluto.

Outras cositas podem ocorrer, tais como: dor no corpo, nos músculos e na pele, frio, insônia, tristeza, irritabilidade, dor de cabeça, desatenção, esquecimento, tonteiras, pesadelos. Que tortura!

Pior ainda é que a sexualidade pode diminuir - o que não acontece comigo, graças a Deus, pois Josualdo não me deixa tempo pra pensar nisso. Mas que a gente acaba preferindo comer cachorro-quente a comer o “cachorro quente”, isso é verdade...

Menstruar é chato mesmo... Mas há quem goste, porque acha que isso significa purificação. Não concordo! Menstruar, entretanto, é símbolo de juventude, pelo menos hormonal. Aí, a gente para de sangrar ciclicamente e acha que vamos nos ver livres de males (cólicas, absorventes,TPM, nervosismo, gravidez não desejada). Até descobrirmos outros problemas.

Os nossos parceiros demorarão a entrar na teórica andropausa. Com o homem a coisa acontece mais devagar. A testosterona, o hormônio responsável pelo tesão, tanto no homem quanto na mulher, vai além neles. Obviamente a natureza é sábia e nos faz, mulheres, produtoras de hormônios na menopausa responsáveis pela libido, através de outras glândulas. Por isto é que muitas mulheres, com sorte, ficam até mais sensuais após a menopausa e alguns parceiros passam de estágio de tocha olímpica para vela de promessa, numa rapidez impressionante...

Homem maduro tem chama ardente, mas que se apaga fácil. Mulher madura, fogo perene, mas baixo, que aumenta com algum combustível. Sendo assim, se somos comandadas por substâncias em nosso organismo, o que podemos fazer?

Ora! De que adiantou comer arroz com feijão a vida toda? E aqueles fortificantes que nossos pais empurravam pela nossa goela adentro? Aqui está a resposta: para quando chegasse nessa fase da vida! Agora é hora de aproveitarmos o que economizamos e de consertarmos o que não funciona bem. Pra tudo tem jeito. A medicina e bons médicos estão aí para resolver os problemas, que, claro, não se resolverão numa “clínica da família”, no Rio de Janeiro, nos dias atuais...

Muitos pediriam a Deus para estar no nosso lugar e apenas reclamar do nosso enrugamento do corpo, mas tendo oportunidade de viver como nós. Então, vamos mudar esta situação, que é apenas uma situação momentânea, pois muita vida ainda teremos que encarar:

Comam como se estivessem rezando e rezem como se estivessem comendo, apesar de que uma “heresia” de vez em quando só faz a gente ter mais fé, certo? Nada de extremismo!

Procurem os tais médicos que a doc recomenda. Sei que médico bom é coisa rara, mas deve haver algum por aí que nos entenda! Na falta de um, rezem mais ainda. Já provaram que no sistema límbico, na nossa cuca, vivem bem juntinhos a área da fé e do desencadeador de nosso sistema imunológico. Eu não entendi nada, mas concluí que a fé cura e nossos anticorpos, bem trabalhados, podem nos curar de coisas ruins, muito ruins!

As árvores possuem mais do que poesia para nossa fase: trazem frutos, que são o símbolo do futuro, nosso futuro. Olhar para o chão faz nos interiorizar, certo? Então?! Procurem raízes! Procurem as suas raízes e as que podem comer!

Conseguem respirar ar puro? Não? Então tentem oxigenar suas vidas. Não é necessário muito para isso - apenas uma hora diária de sossego ou lazer. Esqueçam de respirar químicas. Talvez gostem e passem a fazer isso o dia inteiro.

Trabalhem a afeição. O ódio resgata nossos ancestrais malvados. Mandem todos para o inferno e façam de suas vidas um mundo melhor. Exercitem seus corpos, nem que seja numa calçada ao lado do trânsito. Coloquem um radinho no ouvido e pensem que estão à distância de seus problemas. Andem além de suas pernas. E quem não pode andar, que viaje com sua mente, pois ela o levará a qualquer lugar, se quiser intensamente.

Todas as porcarias que costumamos consumir, usar ou praticar devem ser abolidas por uns dias. Isso inclui falar mal dos outros, fazer mal aos outros ou se dar bem em cima dos outros. Não são a Coca-Cola e o aspartame que dão câncer ou impotência - é a nossa cabeça, principalmente. E é o nosso meio, aquilo que nos magoa todos os dias, que mina nossos conceitos e nossas esperanças. Lutem pra manter a saúde espiritual!

Façam sexo dos bons. Sexo dos bons é fazer sexo bom e com quem nos faz bem. Assim seremos bons também. Só depende de vocês o que realmente acham ser bom. Na falta de, amem-se. Amar-se é o “sexo” mais complicado, mas o mais gratificante.

Sua saúde anda mal?... Rezem! Infelizmente estou escrevendo este texto para quem pode ter acesso aos recursos da medicina moderna. Uma grande parte vai achar que meu texto é elitista. Por isso mesmo eu digo para rezarem! Mas lembrem de que nem Jesus foi impassível. Lutem por uma qualidade de vida decente. De grão em grão um dia a gente enche o papo, ou nossos descendentes.

Eu aqui vou procurando “ares refrigerados” nos meus “fogachos”...

Heterônima:
Dona Menô
Autora:
Leila Marinho Lage
http://www.clubedadonameno.com
Leila Marinho Lage
Enviado por Leila Marinho Lage em 09/12/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Ao copiar e divulgar meus textos, imagens, áudios e apresentações em power point slides, dar os créditos devidos e citar meus sites: http://www.clubedadonameno.com e http://www.clubedameno.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras