Clube da Menô

A minha vida só é possível incrementada!

Textos

Donald Trump e a Magnésia Bisurada

Gente, aqui não é doutora Leila. É a sua heterônima, aquela que entra de vez em quando pra pentelhar as coisas dela, Dona Menô!

Vim aqui pra protestar sobre uma injustiça com o presidente dos States. Nada a ver uma prostituta falar sobre o tamanho ou forma de seu órgão sexual. Isso não muda absolutamente nada do que ocorre na tragédia social dos nossos dias. E pra defendê-lo, farei uma crônica ou conto, como queiram...

Tenho um namorado há décadas. Seu nome é JOSUALDO, hoje um sexagenário, mas muito do lindo e gostoso. E agora falarei sobre nossa primeira vez amorosa na alcova (ou coisa assim...).

Anos atrás estivemos muito apaixonados e ele me convidou pra ir ao motel da vez. Era um lugar paradisíaco, com vista para o mar, lá em São Conrado. Era uma suíte presidencial com requinte de primeiro mundo! Estávamos nos beijando sofregamente quando ele se separou de meu corpo e falou, olhando bem dentro de meus olhos, segurando meus ombros, os sacudindo:

- "Eu sou "diferente". Tenho algo diferente lá embaixo, no meu órgão genital..".

Claro que na época eu nem pensava em sexo trocado, mas imaginei que seria alguma amputação de guerra ou coisa assim. Daí, pedi pra investigar. Ele deixou, constrangido...

Olhei, olhei, vi um tamanho meio que normal (considerando a flacidez), sacudi aquela linguiça mole de um lado pro outro e não conseguia perceber nada de anormal, nem em pele ou seja lá onde fosse. Até que ele falou que era "operado de fimose"....

Eu não podia rir - até porque ele estava pagando o melhor motel do Rio de Janeiro! Então, vim com a deixa:

- "Não se preocupe. Eu morei três anos em Israel".

Ele, como um eterno aculturado que é, nada entendeu e me perguntou qual a associação de seu pênis aos judeus. Comentei que fiz pós graduação em higiene masculina e estudei que lavar o pênis com sabonete líquido fica melhor sem o prepúcio. Como ele NÃO SABIA O QUE ERA PÓS GRADUAÇÃO, PREPÚCIO, MUITO MENOS CULTURA JUDAICA, FICOU NA MESMA. Achei melhor poupá-lo naquela tarde, que teria que ser maravilhosa...

Achei que, ao invés de cama, teríamos que almoçar. Deu uma vontade enorme de almoçar um belo medalhão de filet mignon à Piamontese, com bastante bacon frito e um vinho tinto seco, bem ao estilo mediterrâneo, Aí ele me avisou:

- "Não bebo nada alcoólico, Menô...".

Fodeu, literalmente fodeu! Eu estava ao lado de um abstêmio que achava que seu pênis era diferente dos demais seres humanos! Como resolver a coisa rapidamente? Usei a culinária a meu favor:

- "É heresia não almoçar um arroz à Piamontese neste lugar sem um belo vinho! Tome um gole!".

É claro que eu estava sentada no colo dele e o obrigava a sorver a taça inteira. Aliás, dei duas pra ele de uma vez só.

Acontece que quem é fraco pra bebida, fica tonto, faz besteira, animado e sem controle. E, aí, Josualdo, tirou aquele roupão branco e resolveu dar um mergulho na piscina enorme que existia ao lado de nosso quarto. Só que existia uma IMENSA PAREDE DE VIDRO DIVIDINDO OS DOIS AMBIENTES...

Nunca fui à Àfrica, nunca estudei biologia animal, mas naquela tarde (quase noite) descobri como um javali decide se suicidar por nada! Um corpo inerte, semiconsciente, no chão, querendo dormir ao léo. Coisas da natureza...

O que eu podia fazer com um homem com a glande exposta? Ora! Dormir ao lado dele até ele se recuperar, largado naquele carpete cheio de doenças transmissíveis!

Duas ou três horas depois Josualdo acordou com a corda toda, mas reclamando de certo enjoo. Ah, não! Eu não ia perder o dia por causa de indigestão, de forma nenhuma. Então lancei meu sex appeal:

- "Abra a boca, Josualdo.. Abra a boca bem aberta que eu quero que você chupe uma coisa bem gostoso...".

Ele, como uma criança, nem percebeu que eu coloquei na boca dele uma pastilha de magnésia bisurada, pra azia. Dei uns beijos, palpei a "fimose" e o joguei na piscina.

Vocês sabiam que à noite, com aquelas luzes azuis, toda mulher fica linda e magra? Josualdo me dizia que eu estava parecendo uma "deusa das águas". Apesar de a piscina não ter aquelas borbulhas, eu estava fervendo. Depois ele me falou que lembrou da letra da escola de samba não sei das quantas - mas valeu o momento...

Quando comentamos sobre nossa primeira vez, sempre exalto sobre a segunda, pois a primeira ele não lembra (que foi a melhor). Nós mulheres sempre relevamos...
Leila Marinho Lage
Enviado por Leila Marinho Lage em 20/09/2018
Alterado em 20/09/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Ao copiar e divulgar meus textos, imagens, áudios e apresentações em power point slides, dar os créditos devidos e citar meus sites: http://www.clubedadonameno.com e http://www.clubedameno.recantodasletras.com.br). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras