Clube da Menô

A minha vida só é possível incrementada!

Textos

Alerta de vírus...

Estou gripada. Eu não sei o que acontece, mas quando médico pega gripe sempre é mais forte que nos outros. Isso até serve para outras enfermidades também. Chamamos de esmeraldite – doenças às quais os médicos estão expostos (esmeralda é a pedra que simboliza a medicina).

Médico acha que aguenta o rojão e não pega nada, mas ele está vulnerável, até mais que outros profissionais, principalmente por estar em contato direto com doentes. Somado a isso, uma grande parte dos profissionais de saúde está em contínuo stress na profissão e na vida diária, muitas vezes não se alimentando como deveria e tendo hábitos pouco saudáveis. 

Obviamente nem todos são assim, mas é o que observo em meu meio. 

Todos os médicos devem ser vacinados contra a gripe, mas eu negligenciei essa prevenção este ano, daí...

A vacina da gripe

A vacina pode ser realizada em qualquer época do ano, mas no Brasil as campanhas de vacinação são feitas entre abril e maio, a fim de preparar a população para as gripes de inverno, quando as pessoas estão mais unidas em ambientes fechados, facilitando o contágio, e porque o frio propicia o desenvolvimento do vírus. 

Após 15 dias da vacina o corpo já começa a ter mais condições de combater o vírus. O ideal é ser vacinado um a dois meses antes do inverno. Mas nem todo mundo fica totalmente inume a gripe por dois motivos:

- Em média 30% das pessoas pode ficar gripada, mesmo tomando a vacina, porém, o quadro será mais brando.

- O vírus da gripe, que é chamado Influenza, é dividido em três tipos de vírus (A, B,C), os quais são subdivididos em outros grupos. Como o vírus é mutante, anualmente a vacina é modificada, sendo esta manipulada de acordo com o vírus que está agindo em cada país, entre os 80 países que são controlados pela Organização Mundial de Saúde, incluindo o Brasil. Com a constante migração internacional entre os povos, estes acabam se contaminando com o vírus da gripe ao qual não estão imunizados. 

Contágio 

É conveniente ressaltar que apenas uma pessoa pode contaminar dezenas ou centenas de outras em um mesmo ambiente. 

A gripe é uma doença de evolução benigna, na maioria das vezes, porém, responsável por milhões de vítimas (até mesmo fatais) todos os anos no mundo, repercutindo na diminuição da produtividade no trabalho. Esse é o motivo para que conceituadas empresas, por exemplo, tenham especial interesse na vacinação de seus funcionários.

O contágio se dá pela transmissão de gotículas dispersas no ar, provindas das vias respiratórias do gripado, sendo de muito fácil disseminação. Quando o vírus penetra no organismo, se instala nas células, onde se reproduz, e assim por diante em outras células. 

O nosso sistema imunológico se incumbe de combater o vírus, porém, isso leva cerca de uma semana.

Sinais e sintomas

Os sintomas da gripe são conhecidos: febre (alta ou baixa) e calafrios, dor no corpo (mialgia, dor muscular), dor na garganta, nos olhos e face, cefaléia (dor de cabeça), astenia e adinamia (fraqueza no corpo, indisposição). 

Pode surgir tosse seca ou produtiva (com secreção, geralmente clara). A rinite, que se caracteriza por constipação nasal, coriza e espirros, ocorre na maioria dos casos. 

É comum observarmos, principalmente nas crianças, mesmo antes da febre, sinais prodrômicos (preliminares) da doença: falta de apetite, náuseas e diarréia.

Tabus

Não confundam gripe com resfriado. Denomina-se popularmente por resfriado as viroses que possuem outros agentes virais, que podem causar sintomas semelhantes ao do vírus influenza, porém, com sintomas e evolução mais amenos.

Essas outras viroses, que se restringem ao trato respiratório superior, não são prevenidas pela vacina da gripe.

Uma virose causa rinite, mas nem toda rinite tem causa viral (inflamação da mucosa nasal). A rinite tem várias causas e a mais comum é de origem alérgica. Os sintomas são semelhantes: espirro, tosse, coriza, dor de cabeça etc, mas não há febre e não há acometimento do estado geral  como na gripe. 

Complicações

O tempo da evolução de uma gripe e os sinais e sintomas apresentados dependem de cada indivíduo, podendo ser leves em um e severos em outros. As complicações que podem ocorrer são infecção secundária das vias aéreas (sinusite, traqueobronquite, pneumonia) por bactérias, uma vez que as defesas do paciente estão baixas e este apresenta secreções - meio ótimo para instalação de germes.

O vírus da gripe pode ocasionar pneumonia primária, ou seja, ele mesmo pode causar a pneumonia, uma situação rara, e mais observada nos doentes imunodeprimidos. 

Outras complicações são o acometimento do sistema nervoso central (meningite e encefalite) e a síndrome de Guillain-Barré – paralisia dos nervos periféricos e movimentos dos músculos, que tem vários agentes etiológicos, inclusive o vírus influenza. 

Tratamento

Não existe tratamento para gripe. Os medicamentos só servem para aliviar os sintomas (analgésicos, anti-inflamatórios, antitussígenos etc). Alguns podem aumentar a imunidade do doente, mas não são específicos para a cura da doença. 

Os antibióticos não são indicados para tratar viroses e somente são prescritos caso exista infecção bacteriana associada. 

Em pessoas com doenças graves associadas o médico pode fazer uma cobertura antibiótica como prevenção de infecção bacteriana, como é o caso de enfisematosos.
 
Grupos de risco

A vacina deve ser administrada às crianças (a partir do sexto mês de vida), às grávidas (a partir do terceiro mês de gestação), aos idosos, às pessoas com carência nutritiva e aos profissionais de saúde ou que lidem com o público.

Qualquer pessoa com doenças crônicas ou graves e todas que estão com suas defesas baixas por algum motivo estão vulneráveis à gripe. Devem ser vacinados: asmáticos; renais crônicos; diabéticos; cardiopatas; quem possui doenças pulmonares; quem apresente qualquer doença que cause imunodepressão (câncer, HIV etc) ou quem esteja sendo submetido à quimioterapia.

Qualquer pessoa pode ficar seriamente doente por causa de uma gripe. Muitas vezes não temos noção de nossa imunidade. Mesmo quem se alimenta bem, não bebe ou fuma pode ser vítima dessa virose. Portanto, a meu ver, todos devem ser vacinados anualmente. 

Muito se fala na “vacina para o idoso”, como se apenas os idosos devam ser vacinados. Por estatística definiu-se que as pessoas acima de 60 anos devem ser vacinadas por serem idosas. Se bem que alguém de 50 ou de 30 pode estar mais fraco que muito idoso por aí...

Estamos em setembro, início de primavera. No Rio de Janeiro está frio como nunca antes nesta época do ano... Se é pra ficar gripada, resolvi ficar em grande estilo...

Leila Marinho Lage
Bariloche, 29 de setembro de 2008
http://www.clubedadonameno.com





Leila Marinho Lage
Enviado por Leila Marinho Lage em 29/09/2008
Alterado em 30/09/2008
Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras