Clube da Menô

A minha vida só é possível incrementada!

Textos

Orientações para a coleta de seu preventivo ginecológico

Ao pretender trabalhar em um serviço de saúde público e muito precário, logo de cara eu percebi que faltavam informações básicas para as pacientes que queriam ser atendidas na ginecologia.

Se essas mesmas não forem repassadas no ato da marcação, certamente só depois de muitos meses a paciente conseguirá nova consulta. Tapar o sol com a peneira é o que mais se faz no serviço público. Poucos cuidam de todos com o mesmo critério que cuidam de uma clientela selecionada. Cá entre nós, nem em clientelas selecionadas a turma está sendo criteriosa....

Existem muitas dificuldades para atender a população, mas certamente muito depende da conscientização do povo e dos próprios profissionais de saúde, todos nós.

Não é somente uma paciente carente socialmente que precisa do alerta abaixo. Até na classe abastada encontramos dúvidas e erradas concepções. Parecem primárias as orientações abaixo? Não me parecem, não. São imprescindíveis.

Não é possível num hospital público ter roupão descartável para todo mundo, nem mesmo no particular... Então, se torna mais prático e higiênico que usem as suas próprias roupas, adequadas à consulta.

Muitas mulheres não sabem o que é higiene e não ligam para seus maus odores (pé, hálito, axila e genitália, até mesmo o corpo inteiro). Um bom banho é o mínimo de respeito a um ginecologista.

Caso a paciente não possa se higienizar, isso não impede o exame, mas avisem, né?... Ninguém está livre de ter uma infecção que cause mau cheiro - isso não é vergonha; é apenas uma doença - mas, venhamos e convenhamos, muita gente vai ao médico e não liga para a sua limpeza, achando que o profissional tem mais é que aturar sujeira, o que é diferente de estar doente!

Por exemplo: chega uma paciente e diz que veio direto do trabalho e fez o que podia para não ficar fedida. Tudo bem! Mas podem crer que já vi muita gente de cabelo molhado de xampu, vinda de casa, e com a melhor roupa, mas que percebi que não tinha lavado direito aquilo que tinha que ser lavado!

É obrigação do médico evitar que a paciente adquira uma infecção hospitalar ou ambulatorial, mas a paciente deve lembrar que este médico está exposto a adquirir coisas também! Fora o estômago, não é?!

Se vão ao banheiro e tocam em seus genitais, podem estar transmitindo de lá para todos os lugares vírus, fungos e bactérias, se não lavarem as mãos. Alguém se preocupa com isso? Todo mundo se preocupa com seu próprio nariz e não liga para o resto. Se todos se preocupassem com o próximo, o próximo não ia te contaminar também.

Ainda bem que no Brasil o clima é tropical (ninguém congela num chuveiro) e temos fartura de água na maior parte dos lugares, portanto lavar é a melhor solução, mesmo que para a paciente a nhaca não incomode...

Resolvi fazer este roteiro abaixo, a princípio pensando em pacientes de ambulatórios pobres, mas, pensando bem, serve direitinho para nossos consultórios particulares.

Roteirinho resumido:

Se possível, venha de vestido ou saia e blusa aberta na frente.

Traga anotados as datas de suas menstruações (principalmente a última) e os medicamentos que usa.

Tome banho antes da consulta, mas não faça uso de ducha intravaginal ou creme vaginal no dia ou na véspera.

Não mantenha relações sexuais por 48 horas antes da consulta.

Não será possível colher o exame se estiver menstruada, porém, se seu problema for justamente sangramento menstrual anormal, irregular, excessivo ou sangramento de causa desconhecida, não deixe de comparecer no dia marcado.

Leila Marinho Lage
Setembro de 2009
http://www.clubedadonameno.com

Leila Marinho Lage
Enviado por Leila Marinho Lage em 24/09/2009
Alterado em 26/09/2009


Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras