Clube da Menô

A minha vida só é possível incrementada!

Textos

O CHEIRO DA GINECOLOGIA
 
Recentemente eu atendi uma paciente que tem TOC - Transtorno Obsessivo Compulsivo. Ela lava o corpo todo a cada meia hora. Ela se trata com medicamentos, mas precisa ir ao ginecologista para exames de rotina, apesar de ter nojo de médicos, como ela bem diz.

- "Pó pará por aí!", eu digo.

TRADUÇÃO

"Mantenha a calma. Tudo em meu consultório é extremamente limpo e esterilizado. Você quer um paninho pra passar no chão e ver a cor?

Olhe à sua volta. Se quiser, use papel toalha do banheiro. O lençol em que deitará é descartável. Não terá contato com nada que outra pessoa utilizou. O material que utilizarei em você também é descartável e completamente sem bactérias".

- "Eu preciso de álcool!", ela me surpreende. Daqui pra frente reporto o diálogo sem aspas, um bate-bola: 

- Ué! É só ir ao banheiro. Na bancada do lavabo encontrará um litro de álcool gel. Pode fazer uma festa, mas não recomendo aplicar nas partes porque vai arder bastante...

- Eu tenho nojo de médicos!

- Sem problemas, PORQUE, A PRINCÍPIO, EU TEREI NOJO DE VOCÊ E ME PROTEGEREI DAS SUAS CRACAS. Por falar nisto, agora são 15 horas. A que horas você tomou banho?

- Ontem, na hora de dormir, por volta de 23 horas.

- Você acordou, rolou na cama por horas e não tomou banho de manhã?! Você dormiu uma noite inteira e não se lavou pra ir trabalhar? Pelo menos lavou o pé, a nuca, o sovaco, ânus e a genitália? Você lava a cabeça e couro cabeludo pelo menos três vezes por semana? Escovou os dentes após cada refeição? Se não, você é hospedeira de um monte de bicho que vai te dar um cheiro muito desagradável para seus amigos próximos ou íntimos.

Eu posso examinar seu corpo sem luvas descartáveis e só colocá-las na hora de examinar as coisas? Ou vou ter que achar que você é um pote de germes pra mim assim que te cumprimentar?

Lavarei as mãos antes do exame físico e lavarei muito bem depois, mas se você está irremediavelmente contaminada desde a pele, vou me impermeabilizar logo do começo!

- A senhora não entendeu! Eu não me acho suja! Eu acho tudo sujo ao meu redor! É diferente! Eu acho que consultórios e hospitais são imundos.

- Menos no meu pedaço, minha filha... Você tem ideia do trabalho e despesa eu tenho pra manter este ambiente público do jeito que em nossas casas? Você tem ideia dos desinfetantes que eu tenho que usar no trabalho diário? Ninguém tem! Até o cabelo que vocês jogam no chão, propositalmente, BEM NA MINHA CARA, como também o mijo que largam na privada e não limpam, contaminariam outras pessoas. Eu limpo o ambiente no final do dia - quando não sou obrigada a fazer no meio do expediente!

Não preciso de vigilância sanitária pra discernir quem fede porque não é higiênica de quem fede porque tem uma infecção e está inocente. De qualquer forma, TODA HORA sou obrigada a interditar o atendimento pra colocar as coisas em ordem. As pessoas ficam muito REVOLTADAS COM DEMORAS PORQUE ACHAM QUE TUDO É CHEIROSO E ESTERILIZADO POR PASSE DE MÁGICA.

SE EU SENTIR NHACA RUIM EM MEU CONSULTÓRIO, MESMO RECENTEMENTE FAXINADO, EU PARO TUDO! Odeio fedor!

- Doutora, eu nunca FEDO. O mundo FEDE!

- Você pode não feder, mas o indicativo presente do verbo é tão feio quanto o fato...

- Que?!

- Esquece. Fica aí com seu TOC que está de bom tamanho.
Leila Marinho Lage
Enviado por Leila Marinho Lage em 13/07/2016
Alterado em 13/07/2016


Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras